HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO:

SEG A SEXTA 07:30 ÀS 19:30 | SAB 08:00 ÀS 11:30

(11) 4332-9503 | (11) 4123-2479 | (11) 4123-3134

O que é espirometria?

A espirometria (que significa a medição da respiração) é o teste de função pulmonar mais realizado na prática clínica. A espirometria mede a função pulmonar, especificamente a quantidade (volume) e / ou velocidade (fluxo) de ar que pode ser inalada e expirada. A espirometria é útil na avaliação de padrões respiratórios que identificam condições como asma, fibrose pulmonar, fibrose cística e DPOC. Também é útil como parte de um sistema de vigilância em saúde, no qual os padrões respiratórios são medidos ao longo do tempo.

curvasEspirometria

Historico da Espirometria

A primeira tentativa de medir os volumes pulmonares remonta ao século II, quando Galeno (Cláudio Galeno de Pergamo, 129 dC - 200–216 dC), o famoso médico grego, tentou determinar o volume respiratório fazendo a criança encher uma bexiga. Muito tempo depois, o Napolitano Giovanni Alfonso Borelli (1608-1679) sugou uma coluna de água para um tubo cilíndrico e mediu o volume de ar deslocado pela água. Ele teve o cuidado de fechar o nariz para evitar vazamentos. Humphry Davy (1778-1829) mediu o volume residual de seus próprios pulmões em 1800, inalando uma mistura de hidrogênio contida em um suporte de ar mercurial. Usando o mesmo princípio, Nestor Grehant (1838–1910), em 1864, determinou a capacidade residual funcional e o volume do espaço morto; ambos usaram respiração forçada. Um esquema da unidade mais antiga que poderíamos rastrear, chamado de gasômetro, está representado na Figura 1. No entanto, o verdadeiro início dos testes de função pulmonar (TFP) pode ser datado de 1846, quando John Hutchinson, um médico inglês, inventou o espirômetro pegando um gasômetro comum e transformando-o em um instrumento de precisão para medir o volume exalado por seres humanos. A genialidade de Hutchinson, a fonte de inspiração para aqueles que o seguiram, foi realizar medições de capacidade vital em 2.130 indivíduos, mostrando uma correlação entre altura, idade, peso e o volume da capacidade vital. Ele cunhou o termo capacidade vital expiratória. Seu trabalho inspirou outros pesquisadores e inventores. Em poucos anos, surgiram versões melhoradas de seu espirômetro na Europa e nos Estados Unidos (Figura 2). Sem dúvida, Hutchinson merece uma posição de destaque nessa área e o reconhecimento de sua memória deve ser resgatado.

curvasEspirometria

Gasômetro

curvasEspirometria

Espirômetro de Hutchinson (1946)

Indicações Espirometria

  1. ASMA Utilizada para avaliação inicial, acompanhamento do tratamento e durante as crises para monitorar a gravidade.
  2. DPOC Na doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) o teste serve para diagnóstico, estadiamento e prognóstico..
  3. FIBROSE PULMONAR Nas doenças pulmonares restritivas causadas por doenças pulmonares intrínsecas que causam inflamação e/ou fibrose parentimatosa
  4. DOENÇAS DA CAIXA TORÁCICA OU NEUROMUSCULAR Doenças extrínsecas que comprometem a parede torácica e a pleura e nas doenças neuromusculares a espirometria avalia a capacidade vital forçada e lenta que se encontra diminuída nestas situações.
  5. CHECK-UP Detecção precoce de doença pulmonar em pacientes de risco como tabagistas
  6. OCUPACIONAL Avaliação admissional periódica e demissional e detecção precoce de doença pulmonar obstrutiva causada por agentes nocivos no ambiente de trabalho.
  7. PRÉ-OPERATÓRIO Avaliação da reserva respiratória para qualquer cirurgia em planejamento ou estimativa da capacidade pulmonar pós ressecção pulmonar
  8. AVALIAÇÃO DE TOSSE E DISPNÉIA CRÔNICA Tosse persistente ou falta de ar podem estar relacionadas às doenças acima